Imagina

Imagina que, daqui a 3 meses, existem 2 milhões de casos de Covid-19 em Portugal, e 6 milhões na Península Ibérica. Imagina que, daqui a 6 meses, 1/3 da população europeia morreu devido ao vírus, ou devido a outras complicações de saúde que não puderam receber atenção médica, ou devido a conflitos urbanos.

Imagina que não podes ir às compras porque há grupos organizados que, através da violência, tomaram conta dos supermercados. Imagina que vês tropas na rua, ouves tiros, há conflitos e incêndios nos prédios da tua rua. Talvez no teu prédio, também.

Imagina que já não tens o que comer, nem a tua família. Imagina que já não existem trabalhos. Que não tens dinheiro. Imagina que a Europa já não é funcional, nem oferece qualquer segurança. Imagina que daqui a 9 meses tens que tomar uma decisão radical: mudar de continente.

No Oriente já não existe Covid-19. As sociedades voltaram ao normal. Existe paz e segurança. A solução é deixar a Europa. Mas… devido a muitos terem já tomado essa decisão, o Oriente fechou as fronteiras. Não tens como viajar além da Europa. Não podes sair. A não ser que… vás de forma ilegal.

Vendes todos os teus pertences, tudo. Com esse dinheiro, pagas a alguém que vai levar-te a ti e à tua família até à fronteira do Cazaquistão. São 3 meses em viagem. Comida escassa. Pouca higiene. Muito frio. E demasiada gente a viajar juntamente contigo. Tens que fazer várias partes do caminho a pé. São dias a fio em montanhas, algumas com neve. Imagina que tens um bebé ao teu colo.

Por fim, chegas ao Cazaquistão. Estamos em Março de 2021. És acolhido pelas autoridades. Metade da tua família vai para um campo de refugiados, os outros vão para outro campo. Tens que viver numa tenda com 5 outras famílias. Há uma casa de banho para mil pessoas. Está suja, podre. Todos os dias recebes 100ml de leite, um pão e uma maçã. Só.

Tens um telemóvel. Falas com os teus outros familiares. Tens saudades deles. Tens saudades do teu país, da tua casa. Por vezes, vês as notícias. Grandes grupos no Cazaquistão e restante Oriente não querem que tu estejas ali. Não querem receber pessoas de países cristãos, que vão ameaçar os seus costumes e a sua ordem social. Não querem estrangeiros, nem terroristas de saúde, a ameaçar a segurança pública. Para alguns, não passas de um rato infectado a sujar a sua sociedade tranquila.

Passaram mais 2 anos. Estamos em Março de 2023. Continuas a viver num campo de refugiados porque não há lugar para ti no Oriente.

Percebeste?